BLOGGER TEMPLATES - TWITTER BACKGROUNDS

23/06 - Matéria: "As Três Provas"



Em diversos momentos da vida, passamos por situações que exigem decisões rápidas. A necessidade de tomar uma decisão acontece tanto em momentos corriqueiros do dia-a-dia como também em outros mais importantes que determinam até mesmo o rumo de nossa existência. Naturalmente, a decisão que tomamos em muitas das situações é meramente intuitiva, muitas vezes embasada em uma experiência já vivida. Porém, determinadas situações exigem e possibilitam uma análise de julgamento com base em critérios claros e objetivos. Assim, por exemplo, uma boa escolha para a compra de um produto leva em conta critérios tais como preço, qualidade, adequação ao uso etc. Quando o assunto é religião, dificilmente se faz uma avaliação de forma clara e objetiva. Geralmente, há uma visão de que o mais importante é a fé de uma pessoa, independentemente da religião que pratique. Porém, ao mesmo tempo, quando se analisa à luz de novas descobertas científicas, ou de princípios humanísticos, ou até mesmo do bom senso, pode-se facilmente observar incoerências e até aspectos negativos em muitas religiões. O budismo, até mesmo devido ao grande número de escolas e ramificações que surgiram ao longo de quase três mil anos de sua história, define alguns conceitos que possibilitam julgar de forma objetiva a validade, a supremacia e a integridade de uma religião.

De acordo com o budismo, a religião e sua prática são fatores que determinam fundamentalmente a questão da felicidade ou da infelicidade das pessoas.

Um dos conceitos budistas utilizado para o julgamento de uma religião é o das “Três Provas”, ou seja, a prova documental, a teórica e a real. A prova documental é constituída das escrituras de uma religião pelas quais se conhece sua doutrina, e é também o meio para verificar se os ensinos propagados estão de acordo com essas escrituras. Porém, não é suficiente para comprovar a supremacia da religião, pois não analisa a veracidade dos ensinos contidos nas escrituras.

A prova teórica (raciocínio lógico) consiste em verificar a compatibilidade dos ensinos de uma religião com a razão humana. É o processo utilizado para examinar se suas idéias são universais, se estão de acordo com o raciocínio lógico, se são compatíveis com a realidade e se não contradizem as teorias científicas comprovadas. Essa prova ainda é um meio parcial para comprovar a veracidade de uma religião por depender da razão humana e de comparação.

A prova real é a mais importante das três. É o meio para avaliar uma religião pelos resultados obtidos na vida real dos praticantes. Essa é a confirmação prática da validade de uma doutrina. Portanto, para comprovar a supremacia de uma religião é preciso basear-se nas Três Provas. Nunca se deve abraçar uma religião observando-a superficialmente, ou considerando apenas os meios pelos quais atrai a atenção das pessoas ou a forma como é propagada. Atualmente, existem diversas religiões no mundo que fazem com que as pessoas fiquem confusas e elas acabam acreditando que todas são iguais. Porém, essa concepção revela nada mais do que a falta de um método de julgamento. Existem religiões que pregam seus ensinos em desacordo com a prova documental, outras ensinam a crença em dogmas sobrenaturais incompatíveis com a prova teórica, e há aquelas que mostram comprovações parciais ou privadas de universalidade que não satisfazem plenamente a prova real. São religiões que, no final, conduzem as pessoas à infelicidade.


Façamos agora uma análise do Budismo de Nitiren Daishonin sob o ponto de vista das Três Provas.


Prova documental: A prova documental do Budismo de Nitiren Daishonin é constituída pelos inúmeros tratados doutrinais, pelos regis-tros deixados por seus discípulos, gráficos, cartas de advertência às autoridades e cartas de incentivo aos discípulos. Graças aos esforços do segundo sumo prelado, Nikko Shonin, o sucessor imediato de Nitiren Daishonin, mais de setecentas escrituras foram reunidas, preservadas e transmitidas para a posteridade. Foi o próprio Nikko Shonin quem utilizou o termo Gosho (Go = título honorífico e Sho = escritos ou escrituras) para se referir às obras de Nitiren Daishonin. Atualmente, devido à iniciativa e à dedicação de Jossei Toda, segundo presidente da Soka Gakkai, os seguidores do Budismo de Nitiren Daishonin podem ter acesso a essas escrituras. O presidente Toda teve a idéia de compilar todas as escrituras de Nitiren Daishonin recusada pelo clero do Templo Principal. Mas, mesmo assim, assumiu inteiramente este trabalho com o intuito de transmitir fielmente o espírito dos ensinamentos do Buda Original e de fazer com que o movimento pelo Kossen-rufu avançasse. Assim, com o apoio do sumo prelado aposentado da época, Hori Nitiko Shonin, no dia 28 de abril de 1952, foi lançada pela Soka Gakkai a publicação intitulada Nichiren Daishonin Gosho Zenshu (Coletânea das Escrituras de Nitiren Daishonin), contendo 426 documentos. A SGI é hoje a única organização a adotar fielmente os ensinamentos contidos no Gosho de Nitiren Daishonin, sem a menor distorção.


Prova Teórica: A prova teórica no Budismo de Nitiren Daishonin é a profunda filosofia de vida capaz de explicar de forma clara a todas as pessoas as questões fundamentais do ser humano. Com base na lei de causa e efeito, o budismo de Nitiren Daishonin elucida de forma racional, como e porque se manifestam os diversos acontecimentos na vida das pessoas, determinando sua felicidade ou infelicidade. Na escritura “O Supremo Líder do Mundo”, Daishonin declara: “Budismo é razão. A razão prevalecerá sobre o seu lorde.” (As Escrituras de Nitiren Daishonin [END], vol. 2, pág. 272.) Os princípios filosóficos contidos no Budismo de Nitiren Daishonin são válidos para todas as pessoas, independentemente da raça, da cor ou do sexo, em qualquer que seja a época, e proporcionam a compreensão da mais nobre natureza de felicidade inerente na vida do ser humano.


Prova Real: Na escritura “Três Mestres Tripitaka Oram pela Chuva”, Nitiren Daishonin afirma: “Para julgar o mérito das doutrinas budistas eu, Nitiren, acredito que os melhores padrões são o da razão e o da prova documental. Mas a prova real é ainda mais valiosa que ambas.” (END, vol. 6, pág. 168.) Assim, o Budismo de Nitiren Daishonin considera a prova real como a mais importante das Três Provas. Trata-se da comprovação real na vida das pessoas que praticam, recitando o Nam-myoho-rengue-kyo. No mundo da ciência, a validade de uma teoria deve ser comprovada por meio de experimentos práticos. Da mesma forma, a validade de uma religião deve ser confirmada por meio de resultados concretos obtidos com sua prática. Tais resultados devem ser comprovados universalmente, na forma de felicidade na vida de todas as pessoas que pratiquem o ensino. O Budismo de Nitiren Daishonin é a única religião que mantém a supremacia sobre todas as outras porque cumpre perfeitamente as Três Provas.

0 DÚVIDAS? PERGUNTE AQUI.: