BLOGGER TEMPLATES - TWITTER BACKGROUNDS

30/06 - Matéria: "Daimoku de Fé e de Prática"


O que significa Daimoku?


1) Título de um sutra, em particular, do Sutra de Lótus, Myoho-rengue-kyo.

2) Invocação do Nam-myoho-rengue-kyo no Budismo de Niti-ren Daishonin.


No Sutra Fuguen, consta:


“Se você deseja arrepender-se de seu mau carma, sente-se ereto e medite sobre a ver-dadeira entidade da vida. Então, toda a ofensa do passado dissipar-se-á como geada e como gotas de orvalho sob a luz do sol da sabedoria eterna”.


No Budismo de Nitiren Daishonin, isso significa recitar Daimoku com toda fé ao Gohonzon. Então, “o sol da sabedoria”, que Nitiren Daishonin revelou como o Nam-myoho-rengue-kyo, manifestar-se-á em nossa vida. Com a força vital do Nam-myoho-rengue-kyo, podemos experimentar os efeitos de nosso mau carma muito mais levemente e erradicá-los em um tempo incomparavelmente curto.


Com que postura devemos recitar Daimoku para conquistar a vitória e a felicidade na vida?


O presidente da SGI, Daisaku Ikeda, explicou esse assunto aos integrantes da SGI-Peru, durante uma visita ao país:


“Gostaria então de falar sobre os principais fatores para conquistar a vitória. Em primeiro lugar, está a recitação de Daimoku. Podemos dizer que a alegria, a coragem, a disciplina, a disposição de crescer, a sabedoria, a saúde, enfim, tudo é obtido com a energia vital. E a fonte que produz ilimitadamente essa energia é a recitação de Daimoku. Por isso, uma pessoa que vive com base no Daimoku não encontrará impasses na vida. “Haja o que houver, recitem Daimoku diariamente. O Daimoku é a força básica do Universo. De manhã e à noite, recitem-no sonoramente ao ritmo do galopar de corcéis brancos e façam-no ressoar por todo o ambiente e dentro de vocês”.


Na mesma ocasião, respondendo a uma senhora que perguntou sobre o sentimento correto de recitar Daimoku, ele afirmou:


“Orar ao Gohonzon é como dialogar com o Buda. Por isso, mantendo um profundo respeito no coração, seja sincera com o Gohonzon. Ore com toda a sinceridade por tudo o que você deseja para vencer as dificuldades e para realizar seus objetivos. O Gohonzon irá ouvi-la com profunda benevolência. Nos momentos de tristeza, de amargura ou sofrimentos, abrace firmemente o Gohonzon com sua oração como uma criança busca a proteção de sua mãe. Recite Daimoku como se dialogasse e transmita tudo que se passa com você ao Gohonzon. Agindo assim, depois de algum tempo, mesmo o sofrimento no estado de Inferno desaparecerá como o orvalho sob o calor do sol. Quando perceber seu próprio erro, reflita sinceramente e corrija a si mesma. Decida não repetir o mesmo erro e assinale uma nova partida em sua vida. Nesse momento, determine que vencerá a todo o custo e ore com a força do rugido do leão que move todo o Universo a seu favor. E quando vencer, ore novamente Daimoku com o profundo sentimento de gratidão ao Gohonzon. Nos escritos, Nitiren Daishonin nos recomenda despertar todas as manhãs com o Buda e repousar todas as noites também com o Buda. Isso significa que uma pessoa que recita constantemente Daimoku estará sempre lado a lado com o Buda e será sempre protegida por ele e pelas divindades budistas tanto nesta existência como nas futuras. Por isso, não há nada a temer. Desfrute plenamente cada momento com satisfação e tranqüilidade. O Daimoku transforma a amargura em alegria e a alegria num grande júbilo. Portanto, nos momentos de alegria ou de tristeza, nas horas boas ou más, haja o que houver, aconteça o que acontecer, recite sempre Daimoku. Este é o caminho direto para a felicidade.”


Em que circunstâncias Nitiren Daishonin revelou o Nam-myoho-rengue-kyo pela primeira vez?


Em 28 de abril de 1253, Nitiren Daishonin revelou pela primeira vez para toda a humanidade que o Nam-myoho-rengue-kyo é a essência do Sutra de Lótus e o único ensino capaz de conduzir as pessoas dos Últi-mos Dias da Lei à iluminação. Declarou também que nenhum dos ensinos pré-Sutra de Lótus revelavam a ilumina-ção do Buda e que todas as escolas que se baseavam nesses ensinos eram desencaminhadoras. Esta declaração provocou a ira dos principais líderes religiosos e governantes daquela época que iniciaram uma série de persegui-ções contra Daishonin por toda a sua vida. Com sua ilimitada benevolência, Daishonin levantou-se sem poupar a própria vida propagando a chave para todas as gerações futuras desvendarem o tesouro da iluminação oculto em seu coração.


Poderia citar alguns escritos que enfatizam a importância do Daimoku?


Em inúmeras ocasiões ele encoraja os seus discípulos sobre a força e importância da recitação do Daimoku. Selecionamos abaixo algumas frases douradas de seus escritos:


• “É extremamente raro nascer como ser humano. O senhor não somente é dotado de vida humana como possui a rara sorte de encontrar o budismo. Além disso, dentre os muitos ensinos do Buda, o senhor encontrou o Daimoku do Sutra de Lótus e tornou-se seu devoto. Na verdade, o senhor serviu dezenas de bilhões de budas em suas exis-tências passadas!” (As Escrituras de Nitiren Daishonin, vol. I, pág. 45.)


• “Qual é a diferença entre os benefícios recebidos quando um sábio recita Daimoku e quando nós o recitamos? Não existe diferença nos benefícios do Daimoku. O ouro é o mesmo, seja nas mãos de um tolo ou de um sábio. Nem o fogo é diferente simplesmente porque é feito por um tolo ou um sábio. Contudo, existirá uma diferença caso recitarem Daimoku opondo-se ao espírito do Sutra de Lótus.” (Ibidem, págs. 374–375.)


• “Determine extrair o grande poder da fé e recite o Nam-myoho-rengue-kyo com a convicção de que sua fé será firme e correta no momento de sua morte. Jamais busque nenhum outro caminho para herdar a suprema Lei da vi-da e da morte, mas manifeste-a em sua própria vida. Somente quando agir assim compreenderá que os desejos mundanos são iluminação e que os sofrimentos do nascimento e da morte são nirvana. Sem a herança da fé, mesmo o ato de abraçar o Sutra de Lótus será inútil.” (Os Escritos de Nitiren Daishonin, vol. III, pág. 179.)


• “A senhora perguntou-me se uma pessoa pode atingir o estado de Buda simplesmente recitando o Nam-myoho-rengue-kyo. Esta é a questão última. É também o coração do sutra inteiro e a essência dos oito volumes. (...) O fundamental do Sutra de Lótus é o seu título (Nam-myoho-rengue-kyo). Se a senhora recita Daimoku de manhã e à noite, está lendo o sutra inteiro. Recitar somente dois Daimoku é equivalente a ler o Sutra de Lótus duas vezes; cem Daimoku, cem vezes; mil Daimoku, mil vezes. Assim, se a senhora recita continuamente Daimoku, está lendo o Sutra de Lótus incessantemente.” (As Escrituras de Nitiren Daishonin, vol. I, págs. 392–393.)


• “Se a benevolência de Nitiren for realmente grande e abrangente, o Nam-myoho-rengue-kyo propagar-se-á por dez mil anos e mais, por toda a eternidade, pois este possui o poder benéfico para abrir os olhos cegos de todos os seres vivos do Japão e bloqueia a estrada que leva ao inferno de incessante sofrimento. O seu benefício supera o de Dengyo e Tient’ai, e é superior ao de Nagarjuna e Mahakashyapa. (Ibidem, vol. IV, pág. 91.)


“Na série intitulada ‘Diálogo sobre a religião no século XXI’, referindo-se à importância do Daimoku, o presidente da SGI, Daisaku Ikeda, citou a célebre frase de Nitikan Shonin, o 26o sumo-prelado: ‘Se crer neste Gohonzon e pro-fessar o Nam-myoho-rengue-kyo, não haverá oração sem resposta, nem pecado imperdoável. Toda fortuna será concedida e toda justiça será provada’. Quando recitamos Daimoku como Daishonin instrui, nossa voz ressoa por todo o Universo. Assim como uma voz suave pode ser transformada numa voz ressoante pelo uso de um bom me-gafone, quando recitamos Nam-myoho-rengue-kyo com sinceridade podemos mover todo o Universo.


“No mesmo diálogo consta: ‘Nitiren Daishonin diz que ‘não há dificuldade’ para que aqueles que recitam o Daimoku do Sutra de Lótus tornem-se budas como Sakyamuni (cf. The Major Writings of Nichiren Daishonin, vol. I, pág. 259.) Essa declaração carrega grande significado. Ele diz isso porque a Lei Mística é a origem de todos os budas. Jamais devemos desistir de orar. Ele declara: ‘O senhor deve convocar uma forte fé e orar ao Gohonzon. Então não haverá nada que o senhor não possa atingir’. (Gosho Zenshu, pág. 1.124.) Precisamos orar “como se estivés-semos tentando produzir fogo de lenha encharcada ou água da terra ressequida.” (Gosho Zenshu, pág. 1.132.)”


Existe alguma razão para que algumas pessoas, independentemente do tempo de prática, não estejam percebendo os benefícios da prática de Daimoku?


Em seus escritos Nitiren Daishonin declara: “Mesmo que alguém errasse ao apontar a terra, que alguém fosse capaz de agarrar o céu, que o fluxo e refluxo da maré cessassem e que o sol nascesse no Oeste, jamais a-conteceria de as orações do devoto do Sutra de Lótus não serem respondidas”. (Gosho Zenshu, pág. 1.351.) Conforme esta passagem, é impossível não receber benefícios com uma prática sincera. Então, se eles não estiverem se manifestando é porque algo está em desacordo com o budismo. A questão principal é se conseguimos ou não reconhecer este fato. Daishonin também afirmou em outro escrito: “O senhor deve convocar uma forte fé e orar ao Gohonzon. Então, não haverá nada que o senhor não possa atingir”. (Ibidem, pág. 1.124.) Precisamos orar “como se estivéssemos tentando produzir fogo de lenha encharcada ou água da terra ressequida”. (Ibidem, pág. 1.132.) Referindo-se sobre a postura correta de nossas orações, o segundo presidente da Soka Gakkai, Jossei Toda, considerava aqueles que recitavam Daimoku com uma lista de pedidos pessoais, como se fosse “dever” do Gohonzon conceder benefícios, como pessoas possuidoras de uma “fé de mendigo”. E ele clamava para que, em vez disso, se levantassem com a seguinte determinação: “Eu dedicarei minha vida ao Kossen-rufu!” Daishonin também declara: “Se tiver a mesma mente que Nitiren, não é o senhor um dos Bodhisattvas da Terra?” (As Escrituras de Nitiren Daishonin, vol. I, pág. 367.) Ter a “mesma mente que Nitiren” significa acalentar a mesma determinação pelo Kossen-rufu. Quando trabalhamos pelo Kossen-rufu e levantamo-nos com a resolução de mostrar a prova real da vitória da fé, nossa vida flui com benefícios inimagináveis. Conseqüentemente, as orações daqueles que estão se empenhando para realizar a ampla propagação da Lei Mística não podem deixar de ser respondidas. Recebemos benefícios porque nos empenhamos pelo Kossen-rufu, que é o desejo do Buda.


Qual a diferença entre Daimoku de fé e de prática?


O Daimoku de fé e o de prática são dois aspectos do Daimoku do ensino essencial (Nam-myoho-rengue-kyo). No escrito “Carta a Horen”, Daishonin escreve: “Se tentar praticar os ensinos do Sutra de Lótus sem fé, será como tentar entrar em uma montanha adornada de jóias sem usar as mãos [para apanhar os tesouros] ou como tentar fazer uma viagem de mil milhas sem usar os pés”. (WND, pág. 511.) Da mesma forma, o Daimoku do ensino essencial requer tanto a fé como a prática. Quando recitamos Daimoku como Daishonin instruiu, nossa voz ressoa por todo o Universo. Assim como uma voz suave pode ser transformada numa voz ressoante pelo uso de um bom megafone, quando recitamos Nam-myoho-rengue-kyo com sinceridade podemos mover todo o Universo. Nitikan Shonin, o 26o sumo prelado, afirma: “Se crer neste Gohonzon e professar o Nam-myoho-rengue-kyo, não haverá oração sem resposta, nem pecado imperdoável. Toda fortuna será concedida e toda justiça será provada”. Nitikan enfatiza aqui que há uma distinção importante entre “Daimoku de fé” e “Daimoku de prática”. Recitar o Nam-myoho-rengue-kyo é “Daimoku de prática”, mas o resultado de nossos esforços variam grandemente dependendo se realmente temos confiança no benefício do Gohonzon. Oferecer “Daimoku de fé” é o que faz a diferença. Portanto, está claro que a qualidade do nosso Daimoku é um fator decisivo. A palavra japonesa “inori” significa “orar”, mas não se limita a simplesmente “orar”, é “orar com um profundo desejo de mudar”. É uma diferença sutil mas fundamental. Daimoku de prática é aquele que fazemos todos os dias, uma, duas, três horas, em que a nossa mente divaga por inúmeros pensamentos que intercalados por momentos de lucidez em relação aos nossos objetivos pessoais. Pensamos em tudo, oramos por tudo, somos muitas vezes egoístas e a nossa oração está centrada em nossos problemas e em como solucioná-los. Podemos considerá-lo como uma fase primária da fé. Daimoku de fé é aquele em que embora o indivíduo esteja enfrentando vários problemas, consegue colocar cada um em seu respectivo lugar, e sua oração é focada em como realizar o Kossen-rufu. Naturalmente, haverá divagações, no entanto, a mente do indivíduo tem como foco questões do tipo: como salvar aquela pessoa, como aprimorar as atividades, que palavras usar para incentivar aquele companheiro, que escrito ou orientação mais se encaixa para aquela circunstância, e assim por diante. Em resumo, centramos nossa oração e ação em criar uma ação voltada a desenvolver o Kossen-rufu.

0 DÚVIDAS? PERGUNTE AQUI.: